Náutico paga pelo calendário ruim

Santa Cruz vence o primeiro clássico: Timbu não supera grandes (Foto: CNC)

Renatinho fez o gol solitário do Santa Cruz e o time coral saiu na frente do Náutico nas semifinais do Pernambucano 2013, logo após o lance da foto acima. Tudo normal dentro de um clássico, em que qualquer resultado que não seja goleada é aceitável. Nem tanto para o Náutico, que, derrotado pela terceira vez em um jogo com os maiores rivais, já percebe que o ano será longo.

A semana já teve a eliminação precoce na Copa do Brasil, quando ficou no 1-1 com o CRAC-GO depois de perder o jogo de ida por 1-3. O Timbu se juntou à Portuguesa como os únicos times da Série A ao caírem na primeira fase do mata-mata nacional. A perda foi rápidamente absorvida pela oportunidade de se disputar a Copa Sul-Americana no segundo semestre. Desde 1968, quando foi vice da Taça Brasil contra o Palmeiras e caiu na fase de grupos com o próprio, além dos venezuelanos Deportivo Portuguës e Deportivo Galícia, o Timbu não joga competições internacionais. Mas, nesse ritmo, corre o risco de sequer passar da fase nacional.

Leia também:

Repensando o futebol brasileiro

Paranaense: É tetra ou Trétis?

Torcida do Galo lança movimento LGBT

Ao perder mais uma vez para o Santa Cruz, o Náutico somou a terceira derrota em clássicos no estadual. Depois de um primeiro turno onde chegou a propagar que tinha o “melhor ataque do Brasil”, a realidade chegou aos Aflitos. Sem jogar a Copa do Nordeste, por um desempenho ruim no Pernambucano 2012, o time sente os grandes jogos.

A primeira constatação foi do ex-técnico Vagner Mancini, ainda no comando do Timbu, assumindo o desempenho ruim nos clássicos. Enquanto Sport e Santa Cruz (mesmo com campanhas abaixo da crítica) enfrentavam os grandes da região, o Náutico navegava em águas calmas em um primeiro turno que não teve valor algum (o semifinalista Ypiranga foi o 7o entre nove times na fase). Se os Regionais podem ser a solução para os grandes clubes fora do eixo Rio-São Paulo sobreviverem, quem ficar em um estadual mal-planejado pode pagar ainda mais caro.

Único representante de Pernambuco na elite brasileira em 2013, o Alvirrubro vai ser apontado pela opinião geral como favorito à queda. E nem há como contestar muito, com os números apresentados. Silas, o novo técnico, ainda pode dar a votla por cima e chegar à decisão, quiçá ser o campeão da temporada. Mas enquanto o alerta do mau desempenho na Copa do Nordeste já acordou Sport e Santa, o Timbu já perdeu uma competição nacional e está atrás nas semis do Pernambucanão.

Mancini fala sobre o calendário

Veja entrevista do ex-técnico do Náutico, Vagner Mancini, sobre a necessidade de técnicos e jogadores opinarem na montagem do calendário brasileiro:

 [terratv id=”466412″ domain=”terratv.terra.com.br” width=”425″ height=”344″] 

  • Outra semifinal

Em Caruaru, o Sport fez 5-1 pra cima do Ypiranga e garantiu-se na decisão (ou alguém acredita num 0-5 Ypiranga na Ilha do Retiro?) com direito à virada no placar. A goleada chamou a atenção para um ítem do regulamento do campeonato.

Se uma improvável goleada acontecer em um dos clássicos da decisão, o time vencedor não tem vantagem alguma, sendo obrigado a, em caso de derrota simples no outro jogo, fazer uma terceira partida pela título. 

Perfeito para combinar com o inutilizado primeiro turno. 

Siga Napoleão de Almeida no Twitter: @napoalmeida
Gostou do blog? Curta a FanPage no Facebook!