Videocast #006 – Coxa na Copa do Brasil, reforços no Atlético e a nova gata do Romário!

Videocast #006 no ar!

Em pauta, a semifinal da Copa do Brasil entre Coxa e São Paulo, a necessidade do Atlético reforçar, um pedido: entrega logo a taça da Série Prata, Euro 2012 e a nova gata do Romário: Márcia Magalhães, assessora do Baixinho, gente da terra, gente nossa!

Confira e comente!

Anúncios

Que beleza de camisa! #22: Operário 100 anos

“Um viva para o pessoal de Ponta Grossa!”

Cem anos não são cem dias, já diria o senso comum. E o centenário do Operário não poderia passar em branco no Que Beleza de Camisa! (agora em edições esporádicas). A musa do extinto Jogo Aberto Paraná novamente abrilhanta a tela do seu computador, agora com a camisa alvinegra: @kellypedrita põe a camisa do Fantasma, para alegria da moçada! “Sempre fui fã do Operário e do pessoal de Ponta Grossa”, me disse Pedrita, com um sorriso maroto.

Que beleza de camisa! #22 Operário Ferroviário Esporte Clube

Quem é? Clube do interior do Paraná, fundado em 01/05/1912.

Já ganhou o que? ~Campeão Paranaense da Série Prata em 1969; Campeão Paranaense Zona Sul em 1961.

Grande ídolo: “A Segunda Divisão molda caráter”, costuma dizer um amigo. No caso do Operário, formou uma geração. O grande time da história do Operário não levantou taça, mas garantiu que o clube não caísse no esquecimento de uma torcida que hoje ajuda o clube a tentar dias melhores. Foi em 1990 que o time abaixo chegou ao 5o lugar da Série B – perdeu a vaga na elite nacional para o Atlético, dentro de um dos grupos classificatórios na semifinal, mesmo sem perder para o campeão Sport Recife, nem para o vice, Atlético:

O time de 1990 representa mais que apenas uma figura para a torcida operariana. É o símbolo de que o clube pode sim estar entre os grandes do Brasil. Relembremos a campanha:

1ª Fase:

Operário 3-0 Juventus-SP
Operário 1-1 Catuense-BA
Central-PE 0-0 Operário
Americano-RJ 1-0 Operário
Operário 3-1 Itaperuna-RJ
Juventus 2-0 Operário
Itaperuna 1-1 Operário
Operário 2-0 Central
Operário 5-1 Americano
Catuense 1-1 Operário

2ª Fase:

Itaperuna 0-1 Operário
Operário 1-0 Remo
Operário 2-1 Sport Recife
Remo 3-1 Operário
Sport Recife 1-1 Operário
Operário 0-0 Itaperuna

3ª Fase:

Operário 1-0 Catuense
Operário 0-0 Criciúma
Atlético 0-0 Operário
Criciúma 5-1 Operário
Catuense 3-1 Operário
Operário 2-1 Atlético

Operário 5º lugar: 26 pts / 22j / 9v / 8e / 5d / 27gp / 22gc / 5sg

Apelido: Fantasma.

Como anda? Foi mal no primeiro turno do Paranaense 2012 e até reagiu no segundo, mas não o suficiente para ficar com uma das vagas na Série D nacional, que disputou ano passado. Na Copa do Brasil deste ano, fez a primeira participação, mas parou na primeira fase, ao perder para o Juventude-RS por 1-4 em casa. Agora terá que se planejar para o próximo ano, já que não tem calendário daqui até janeiro/13, quando recomeça o Paranaense.

Curiosidades: Foi o 3o colocado em média de público presente aos estádios em 2010 e 2011, a frente do Paraná Clube; Sem contar as duas partidas da final do Paranaense 2012, entre Atlético e Coritiba, tem o artilheiro do campeonato atual, Baiano, com 13 gols (Bruno Mineiro, do Atlético, tem 11 e pode fazer dois jogos ainda).


Que beleza de camisa! #21 – Especial Atletiba #350

"Ai meu Deus... que jogão! Quem será que ganha??"

Pra matar as saudades da linda Kelly Pedrita, um “Que Beleza de Camisa!” especial sobre a 350a edição do clássico mais tradicional do futebol paranaense. E ninguém pode reclamar: a eterna musa do (ex) Jogo Aberto Paraná vestiu as duas camisas, para deleite das duas torcidas.

São 349 jogos e muita história até aqui. Para essa partida no Couto, alguns números (com ordem pelo mandante do clássico):

Último jogo (349): Atlético 0-0 Coritiba, em 22/02/2012, na Vila Capanema
Último jogo no Couto Pereira: Atletiba 347 – Coritiba 1-1 Atlético, em 27/08/2011

No Couto Pereira: 192 jogos – 84v Coritiba – 59 empates – 49v Atlético

Coritiba

Última vitória: Atletiba 346 – Atlético 0-3 Coritiba, em 24/04/2011, na Arena
Última vitória no Couto Pereira: Atletiba 345: Coritiba 4-2 Atlético, em 20/02/2011

Atlético

Última vitória: Atletiba 348 – Atlético 1-0 Coritiba, em 04/12/2011, na Arena
Última vitória no Couto Pereira: Atletiba 334 – Coritiba 0-2 Atlético, em 20/01/2008

As camisas:

Esse foi o uniforme número 3 do Coxa em 2006, ano em que o clube esteve na Série B, liderou por várias rodadas, mas despencou na reta final e não conseguiu o acesso. Foi usado poucas vezes ao longo do ano, que teve apenas um Atletiba: o 332, na Arena, válido pela Copa 100 anos e vencido pelo Atlético por 4-1. O Coritiba não usou essa camisa nesse jogo; o uniforme foi usado ocasionalmente na Série B nacional e aposentado na temporada seguinte. Mesmo assim, considero uma das camisas mais bonitas do clube, numa leitura diferente com dois tons de verde e discretas luminosidades brancas.

Esse foi o uniforme titular do Atlético em 2010, quando o Furacão quase voltou à Copa Libertadores – acabou o Brasileirão a uma posição da classificação. Foi usado por toda a temporada e em parte de 2011. Em 2010, foram dois Atletibas: o 343, 1-1 na Arena, e o 344, vencido pelo Coritiba no Couto Pereira, 2-0. Acho essa a camisa mais bonita da história recente do Atlético, por ser simples e clara, resgatando a gola, e com as listras em destaque e cores firmes.

Ambas camisas fazem parte do meu acervo pessoal (como a maioria da série de posts Que Beleza de Camisa!).

Que beleza de camisa! #20: Arapongas

"Adoro passarinhos!"

A semana é do #Atletiba348, mas nunca é demais ver mulher e camisa de futebol bonitas, certo? Por isso o Que beleza de camisa! mantém a tradição do atraso (sim, já se passaram mais de 15 dias desde o último) e, com a desculpa de que falta tempo para a pesquisa, vai pertinho, até Arapongas, contar a história do Arapongão, cuja indumentária* é trajada por ninguém menos que a estonteante @kellypedrita. “Adoro passarinhos, de todos os tipos! Arapongas são lindas”, diz a musa do Jogo Aberto Paraná. Que moral, hein?

*Agradecimento super-especial a Fabiano Ferreira Rocha, que me presenteou com a camisa!

Que beleza de camisa! #20 Arapongas Esporte Clube

Quem é? Clube do interior do Paraná, fundado em 06/06/1974.

Já ganhou o que? Nada.

Grande ídolo: Com uma história curta, retomada a partir de 2007 e com ápice em 2010, é difícil apontar um grande ídolo para o Arapongas EC; mas alguns nomes se destacam. O primeiro é o do atacante Diogo, que marcou os dois gols que garantiram a volta do time para a elite do futebol paranaense, em 2010, no 2-0 sobre o São José. Outro grande candidato é o meia Wellington, hoje no Paraná Clube, que entrou para a história do clube ao marcar o gol de abertura do placar da vitória do Arapongas sobre o Atlético, na Arena, na reestréia na elite:

Apelidos: Arapongão.

Como anda? Terminou em 5o. lugar o Paranaense 2011, depois de 20 anos sem disputar o campeonato na elite. Para a temporada 2012, já acertou a contratação do técnico Darío Pereyra, zagueiro que defendeu com brilho o São Paulo nos anos 80.

Curiosidades: O Arapongas foi o último time paranaense a arrancar pontos do Coritiba no Campeonato Paranaense. E foi no finalzinho do jogo. O Coxa vencia por 1-0 jogando no Estádio dos Pássaros, mas no último lance da partida o zagueiro Luciano deixou tudo igual:

Depois dessa partida, o Coritiba engatou a série de 24 vitórias que lhe rendeu menção como “clube com mais vitórias em sequência no Mundo” no Guinness Book. Já o Arapongas conseguiu a melhor classificação da sua história no futebol do Estado.

O Arapongas e o futebol paranaense: O grande rival do Arapongas é, hoje, o Roma Apucarana, da cidade vizinha. Quando jogam, caracteriza-se um dos clássicos com nome mais inusitado do Brasil: o Arapuca. Além do ano passado, o Arapongas participou do Paranaense em 1990, terminando em 22o. lugar (Atlético campeão) e em 91, quando foi 13o. colocado (Paraná campeão).

Atenção meninas: o blog oferece oportunidade não-remunerada de você posar para o quadro Que beleza de camisa! Se você tem interesse em ser modelo, como a Kelly Pedrita, é uma boa vitrine. Entre em contato pelos comentários deixando e-mail para retorno e participe do quadro semanal!

Que beleza de camisa! #19: Napoli

Mamma mia!

Depois de uma folga de uma semana, o Que beleza de camisa! está de volta! A homenagem nesse feriado de 15 de novembro vai para o Napoli, de Careccone e Alemone, como diria o inigualável @silvioluiz. A não menos inigualável @kellypedrita novamente empresta sua beleza ao blog, vestindo a camisa azzurri.

Que beleza de camisa! #19 Società Sportiva Calcio Napoli

Quem é? Clube médio italiano, fundado em 01/08/1926.

Já ganhou o que? Campeão da Copa Uefa 1988-89; 2x Campeão Italiano (86-87 e 89-90); 3x Campeão da Coppa Italia.

Grande ídolo: Diego Armando Maradona, o segundo maior jogador de futebol de todos os tempos, chegou ao Napoli depois de defender, sem muito brilho, o Barcelona. O argentino conduziu o clube a uma época de ouro, com um título continental e dois nacionais. Não a toa, a camisa usada pela Kelly Pedrita nesse post foi comprada em Buenos Aires em uma das milhares de lojas de artigos esportivos que ainda vendem materiais de Dieguito. Napoli e Maradona – e a devoção dos argentinos por ele, se confundiram por sete anos (1984-1991), nos quais fez 115 gols e 259 jogos. Deixou o Napoli para uma rápida volta à Espanha, para o Sevilla. Mas essa é outra história. Dieguito fez história ao lado de dois brasileiros: o volante Alemão e o atacante Careca, ex-Guarani e São Paulo. No vídeo abaixo, eles fazem picadinho do Milan de Gullit e Van Basten:

Apelidos: Azzurri.

Como anda? Chegou a liderar o atual campeonato italiano, mas caiu para o oitavo lugar após 10 rodadas; na temporada 2010-11, terminou em terceiro e, por isso, disputa a atual Champions League. Está no Grupo A e, após 4 jogos, disputa uma vaga na próxima fase diretamente com o Manchester City, em jogo no dia 22 deste mês, em Nápoles. O Bayern de Munique está praticamente garantido na chave, com 10 pontos, contra 7 do City e 5 do Napoli. Seu principal jogador é o argentino Ezequiel Lavezzi.

Curiosidades: O Napoli faliu em 2004, por chegar a uma situação financeira insustentável, após três anos na Série B. O clube fechou as portas, mas um movimento organizado pelo cineasta Aurélio De Laurentiis, que não queria deixar Nápoles sem clube de futebol, fundou o Napoli Soccer, uma empresa que tocaria o patrimônio falido do Napoli. O clube reiniciou sua trajetória na Série C nacional no mesmo ano. Nos dois anos seguintes, foi campeão da Série C e vice da B, retornando à elite. Em 2006, recuperou o nome original, Società Sportiva Calcio Napoli. O clube aposentou a camisa 10 de Maradona em 2000; pouco antes, em 1997, Beto, ex-Flamengo (sim, é aquele) usou-a. Estima-se que o Napoli tenha a 4a maior torcida da Itália, atrás de Juventus, Inter e Milan.

O Napoli e o futebol paranaense: Em 1968 o Napoli, então vice-campeão italiano (o Milan ficou com o scudetto) visitou Curitiba para um amistoso com o Coxa. O jogo aconteceu no estádio Belfort Duarte (o nome do Couto Pereira antes da reforma) e, segundo o site História do Coritiba relata, “no final do jogo, o técnico coritibano substituiu Neiva por Wálter. Quando Neiva saiu do gramado, Kosilek fez o gol que seria da vitória. Os jogadores italianos alegaram que Neiva ainda estava em campo, o árbitro Wander Moreira entrou na catimba italiana e invalidou o gol coxa-branca”.

Atenção meninas: o blog oferece oportunidade não-remunerada de você posar para o quadro Que beleza de camisa! Se você tem interesse em ser modelo, como a Kelly Pedrita, é uma boa vitrine. Entre em contato pelos comentários deixando e-mail para retorno e participe do quadro semanal!

Que beleza de camisa! #18: Universitário

"Vasco? Vou de Universitário!"

A colaboradora @kellypedrita (se você é menina e quer colaborar também, leia a nota no pé do texto), apresentadora do Jogo Aberto Paraná, não quer nem saber do Vasco amanhã, pela Copa Sulamericana 2011; o negócio dela é do Peru: o Universitário, adversário do time brasileiro na competição. Ela já até vestiu a bela camiseta de Los Merengues para o Que beleza de camisa! dessa semana!!

Que beleza de camisa! #18 Club Universitario de Deportes

Quem é? Grande clube peruano, fundado em 07/08/1924.

Já ganhou o que? 25x Campeão Peruano.

Grande ídolo: Teodoro “Lolo” Fernández defendeu o Universitário por 23 anos, conquistando seis títulos nacionais no período. Também foi por sete vezes artilheiro do campeonato nacional do Peru, além de ter sido o principal destaque da Seleção Peruana na conquista da Copa América de 1939 (o primeiro dos dois títulos que tem o Peru no torneio. O outro foi em 1975). E apesar do destaque internacional e de vários convites, se recusou a defender outra equipe que não o Universitário.

Apelidos: La U, Los Merengues, Los Cremas.

Como anda? Está nas quartas de final da Copa Sulamericana e enfrenta o Vasco, em casa, nessa quarta-feira, no jogo de ida. Se passar, pode cruzar com dois clubes “acadêmicos” na semi e na final: o Universidad de Chile e a LDU (Liga Deportiva Universitária) do Equador, respectivamente. Mas tem chão. Foi campeão nacional pela 25a vez em 2009; ano passado, foi 4o colocado e, nessa temporada, é apenas o nono colocado, faltando quatro jogos para o fim do torneio.

Edu Esídio

Curiosidades: Um dos grandes ídolos do Universitário é o atacante brasileiro Edu Esídio, ex-Botafogo-SP, que marcou 32 gols no Peruzão/2004 e se tornou o maior artilheiro da história do torneio, em uma única edição. Mas essa não é a principal conquista dele: Esídio é portador do vírus HIV desde 1998 e venceu o preconceito para continuar atuando no futebol local até encerrar a carreira, em 2004.

O principal rival do Universitário é o Alianza Lima, no Superclasico Peruano; se tem mais conquistas que o rival (25 x 22) perde nos confrontos diretos. Em 334 jogos, 112 vitórias de La U contra 123 do Alianza. O Universitário não vence o Alianza desde 2003.

É o clube peruano melhor rankeado na Conmebol: 28o. lugar, com 118,71 pontos.

O Universitário e o futebol paranaense: O Universitário jamais enfrentou qualquer equipe do Trio de Ferro. A única relação do clube com o futebol local é uma apagada passagem do atacante Abel Lobatón, ex-Atlético, por La U, em 2001.

Atenção meninas: o blog oferece oportunidade não-remunerada de você posar para o quadro Que beleza de camisa! Se você tem interesse em ser modelo, como a Kelly Pedrita, é uma boa vitrine. Entre em contato pelos comentários deixando e-mail para retorno e participe do quadro semanal!

Que beleza de camisa! #17: Bolívar

Strongest? Forte mesmo é essa...

“Que beleza de camisa!” no ar nessa quarta-feira, com um diazinho de atraso, em função da altitude (lol): hoje vamos a La Paz, na Bolívia, conhecer um pouco mais do Bolívar, cuja camisa é envergada pela colaboradora @kellypedrita (se você é menina e quer colaborar também, leia a nota no pé do texto), apresentadora do Jogo Aberto Paraná.

Que beleza de camisa! #17 Club Bolívar

Quem é? Grande clube boliviano, fundado em 12/04/1925.

Já ganhou o que? 29x Campeão Boliviano.

Grande ídolo: El Diablo, ou Marco Antonio Etcheverry Vargas, hoje com 41 anos, é o grande ídolo do Bolívar. Foi no clube de La Paz, depois de um início no Destroyers de Santa Cruz de La Sierra, que ele ganhou destaque ao conquistar o Bolivianão de 1991, temporada em que anotou 17 dos 21 gols que marcou pelo clube. Parece pouco – e é – mas diante do pouco expressivo futebol boliviano, Etcheverry optou por abraçar oportunidades internacionais: Albacete (ESP), Colo-Colo (CHI), América de Cali (COL), DC United (EUA) e os equatorianos Barcelona e Emelec. Em 2004, retornou ao Bolívar para encerrar a carreira, no ano em que a equipe ficou com o vice-campeonato da Copa Sul-Americana, na melhor campanha do clube em competições internacionais. Mas o grande momento da carreira de El Diablo foi na Copa 1994, quando defendeu a Bolívia de volta ao Mundial após 44 anos. Nas eliminatórias, marcou um dos gols que impôs ao Brasil a primeira derrota da Seleção na história da fase seletiva, em jogo no Hernando Siles, estádio do Bolívar:


Apelidos: La Academia.

Como anda? É o atual campeão boliviano (2011) mas não está classificado para a Copa Libertadores de 2012, pois o torneio foi considerado de adequação. Lidera também o novo formato do campeonato boliviano, adequado ao calendário europeu, com temporada única entre dois anos (2011/2012). Tem 40 pontos, contra 38 do Real Potosí, vice-líder, há 10 rodadas do fim.

Curiosidades: O nome Bolívar é em homenagem ao centenário de fundação da República da Bolívia e também uma forma de protesto com os vários clubes bolivianos com nomes em inglês, como o seu principal rival, The Strongest. É o clube boliviano que mais participou da Copa Libertadotes: 22 vezes. Leva ampla vantagem sobre o rival no Clásico Paceño: 106 vitórias contra 55 do rival, em 238 jogos. Seu maior trunfo é jogar a 3.650m acima do nível do mar. Com oxigênio rarefeito, literalmente sufoca os adversários.

O Bolívar e o futebol paranaense: Na Copa Libertadores de 2002, então como campeão brasileiro, o Atlético foi até La Paz tentar a revanche contra o Bolívar, que havia vencido por 2-1 na Arena, na estréia atleticana na competição. E ia conseguindo, aplicando um baile no time da casa: depois de sair atrás, virou, ainda no primeiro tempo, o placar para 5-1. E o que se viu a seguir foi inacreditável:

Ao chegar em Curitiba, o goleiro Flávio (hoje no América-MG) conversou comigo no CT do Caju e confidenciou: “Se tivessem mais 5 minutos, tomaríamos a virada. Eu não não enxergava nada direito, não conseguia nem repor a bola no tiro de meta.” Os atleticanos sentiram os efeitos da altitude e acabaram entrando para a história em um jogo de 10 gols.

Atenção meninas: o blog oferece oportunidade não-remunerada de você posar para o quadro Que beleza de camisa! Se você tem interesse em ser modelo, como a Kelly Pedrita, é uma boa vitrine. Entre em contato pelos comentários deixando e-mail para retorno e participe do quadro semanal!