Cover da Semana #2 – Atlético Paranaense-PGY

Era pra ser semanal. Mas aí faltou tempo e vida de blogueiro não é fácil. Então, quase um mês depois, novo “ensaio” com o Cover da Semana, sempre trazendo um clube e seu xará e uma sonzeira (ou não) no fim. Quem já teve banda sabe como é difícil reunir o povo pra tocar, então, desculpem a nossa falha e segue o baile! (Quanto trocadilho!)

Cover da semana #2:  Club Atlético Paranaense, de Encarnación, Paraguay

Atlético Paranaense Paraguaio: destaque na Libertadores de Futsal

Cover de quem? O Atlético Paranaense do Paraguay é uma homenagem ao Atlético que surgiu na primeira campanha de Libertadores do clube brasileiro. Foi fundado em 2000 do clube de Encarnación, 3a maior cidade paraguaia, sem fronteira com o Brasil. De acordo com Guilherme Wojciechowsky, âncora da CBN Foz e exímio conhecedor da região da fronteira, o nome Atlético Paranaense também é uma alusão a um clube de atletas fundado próximo às margens do Rio Paraná. No entanto, não é preciso ser muito esperto para ver que as cores, a camisa e principalmente o escudinho são cópias do Atlético Paranaense original. Pouco se acha sobre o Atlético paraguaio na Internet: não há site oficial e todas as referências são do jornal ABC Color, de Assunção, capital do Paraguay, da época do torneio de futsal que projetou o clube. “A internet no Paraguay ainda anda de carroça”, conta Wojciechowsky.

Qual versão é melhor? Campeão Brasileiro da Série A em 2001, o Atlético original tem ainda outros 2 títulos nacionais e 22 estaduais. Por pouco não acrescentou à galeria o título da Copa Libertadores de 2005, quando decidiu contra o São Paulo; o cover não tem nenhuma conquista, mas repetiu no ano passado o feito do original: jogando em casa, ficou com o vice-campeonato da Copa Libertadores de Futsal. Decidiu a competição com o brasileiro Carlos Barbosa-RS. Ambos perderam o jogo final por 4-1. Como curiosidade, o Atlético Paranaense do Paraguay eliminou um paranaense na competição: o Umuarama Futsal. Além disso, na primeira fase da Libertadores, enfrentou o Nacional-URU (venceu por 4-2), assim como o Atlético o fez em 2000, quando disputou pela primeira vez a Libertadores de futebol de campo:

Como foram compostos? O Atlético Paranaense nasceu da fusão de dois tradicionais clubes curitibanos: o América (vermelho e branco) e o Internacional (preto e branco). Ambos se juntaram em 1924 para tentar acabar com a hegemonia do Britânia, então maior campeão estadual, sob a tutela de Arcésio Guimarães. Deu certo: em 1925, o Atlético levantou a primeira taça. Já sobre o Atlético do Paraguay existem poucos registros. Mas a grande campanha na Libertadores de Futsal veio após o auxílio da cidade de Encarnación, que recebeu o evento, e trouxe seis jogadores que defenderam a Seleção Paraguaia de futsal.

A capa do álbum:

O Original e o Cover - em baixa resolução
E na guitarra?

Vamos admitir que chegar a vice da Libertadores não é pouca coisa. A torcida do Atlético, apesar da sensação de perda, até se orgulha da conquista; que dirá o Atlético paraguaio, que repetiu o feito e perdeu nada menos para o Carlos Barbosa, clube que venceu 4 vezes a competição? Então, é justo que seja um cover de respeito. E lá vamos aos anos 60, mais precisamente 1967, quando o The Doors lançou album com o nome da banda e a faixa “Take It as It Comes”. Nos idos dos 90’s, recebeu justa homenagem de outra grande banda, The Ramones. Confira as duas versões abaixo.

Eis a versão original:

E esse é o cover:

Vamos ver se o próximo ensaio sai mais rápido, moçada…

Anúncios

Cover da semana #1 – Coritiba-SE

Estreando hoje quadro novo aqui no blog: é o cover da semana. Falarei de um clube cujo nome seja inspirado em outro, contando uma rápida história de ambos. E também, de acordo com o sucesso do cover, um parelelo entre uma música e sua versão cover. Comente e sugira novas equipes e músicas logo abaixo!

Cover da semana #1:  Coritiba Foot Ball Clube, de Itabaiana, Sergipe

Coritiba-SE: homenagem ao Coxa começou no futsal

Cover de quem? O Coritiba-SE é uma homenagem ao paranaense Coritiba Foot Ball Club. Fundado em 1972, o Coxa sergipano foi criado no futsal, migrou para o futebol de campo, mas não obteve o sucesso do xará; hoje está reativado no futsal de Sergipe.

Qual versão é melhor? O Coritiba original, fundado em 1909, tem 35 títulos estaduais e 4 nacionais, sendo um deles o da primeira divisão brasileira em 1985; o cover mandou e desmandou no futsal do Sergipe nos anos 90, com um heptacampeonato entre 93-99 e o título da Copa Nordeste de Futsal de 92; quando migrou para o gramado, conseguiu apenas um título, a segunda divisão estadual de 1999.

Como foram compostos? O Coritiba original foi fundado em 1909 em Curitiba por um grupo de desportistas alemães, em especial Fritz Essenfelder, que foi quem trouxe pela primeira vez uma bola para o Estado do Paraná; o cover surgiu em 1972, fundado por Wilson Gia da Cunha, que residiu em Curitiba e ficou admirado com a equipe dos anos 70 do Coxa, que venceria o Torneio do Povo e um hexacampeonato estadual naquela época.

A capa do álbum:

O original, o cover em 1ra versão e o escudo da fusão com o Itabaiana

E na guitarra?

Uma boa comparação são as versões de “Goin’ Blind”, do KISS, banda que ao exemplo do Coxa, teve anos dourados entre 70’s e 80’s, e do Dinosaur Jr, grupo que apareceu na onda do Grunge nos 90’s.

A versão original ganhou uma ótima releitura no álbum MTV Unplugged, de 1999. A versão original é do disco Hotter than Hell, de 1974 – dois anos depois da fundação do Coxa sergipano.

Eis a versão original:

E esse é o cover. Convenhamos, bem ruinzinho:

Semana que vem vamos apresentar o Atlético Paranaense do… Paraguai! Já na fila estão o Londrina-RS, o Roma, o Corinthians-PR e alguns outros mais. Enquanto isso, comente o quadro abaixo e faça sugestões de times e músicas também!