Pinheirão: Coritiba nega novas possibilidades

Travada desde o pagamento da dívida com o INSS pela Federação Paranaense de Futebol, a negociação entre a construtora OAS e a FPF para a aquisição da área do Pinheirão, nas palavras do terceiro interessado (o Coritiba) “esfriou”.

“Esfriou sim”, me disse Vilson Ribeiro de Andrade, vice-presidente do Coxa, “O Coritiba, ressalte-se, nunca mudou sua postura. Se um investidor aceitasse nossos termos, negociaríamos. Mas isso dependeria da negociação entre o investidor e a FPF. Não sei o que houve com eles, parece que até podem retomar as negociações, pagarem o que a federação pede [nota: estima-se algo em torno de R$ 60 a 85 milhões], e só então o Coritiba volta a pensar no assunto. Nós não temos esse dinheiro e nunca pretendemos comprar um terreno e tocar a obra por conta própria.”

Vilson também falou sobre a imagem abaixo, que circula na internet, de um suposto acordo de Naming Rights para o estádio, envolvendo a Petrobrás:

“O investidor faz isso para vender, mas não há nada. É como uma construtora. Eles colocam os tapumes e a central de vendas antes mesmo do prédio ser erguido. Vendem e constroem com o nosso dinheiro (risos).”

Amanhã, no Jornal Metro Curitiba, detalhes sobre possíveis contratações do Coxa e a relação com a Nike. Fique atento!

Opine!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s